04 abril, 2011

Repercussão da publicação em “Cicero Melo – Os poetas explodem!”


Entrar em contato com a poesia madura de Márcia Sanchez Luz foi para mim a surpresa mais extraordinária que tive nos últimos tempos. Domina as técnicas de versejar, de tecer o poema como uma qualidade, uma perfeição, com uma facilidade, principalmente no soneto, que raramente se encontra nos poetas deste país. Séria, amorosa, sensual, por vezes, sutilmente erótica, Márcia me encantou. Procurei comprar tudo que ela já publicou. Já li dois dos seus livros e a cada leitura me encanto mais. Além do mais, a menina é tradutora competente de Inglês e Francês e já está traduzindo o meu livro que será lançado em Paris, em março de 2012. Pretendo, em breve, escrever uma apreciação crítica mais aprofundada sobre o seu trabalho.

Cicero Melo (Recife, PE)


Márcia é perfeita! Uma poetisa lapidada com as mãos cálidas da poesia encantadora e bela. Os sonetos de Gregório de Mattos, Gonçalves Dias, Álvares de Azevedo, Fagundes Varela, Augusto dos Anjos, Castro Alves entre outros, todos mestres nesta arte podem, se colocados lado a lado aos de Márcia, compor um belo Mural.
Um abraço,

Lígia Saavedra (Ananindeua, PA)


Quando fiz a minha pesquisa -- que durou 14 anos -- para publicar a coletânea "100 Poemas Essenciais da Língua Portuguesa" tive muita dificuldade em encontrar autoras, até o Século 20, quando as mulheres começam a aparecer, de forma mais intensa. Os poemas de Márcia, ao usarem um formato introduzido, em nossa Língua, por Sá de Miranda, que viveu na Itália na época em que lá surgiu o doce still nuovo, seguem essa tradição clássica mas trazem a força do mundo moderno, traduzida pela quase predominante participação da mulher na poesia em Língua Portuguesa.

Carlos Figueiredo (São Paulo, SP)


Se pudéssemos medir Márcia de uma forma acadêmica diríamos que seus sonetos traduzem a matemática que cadencia a poesia. Mas definir um poeta por uma ciência exata é uma loucura, diriam. Vá lá! Também eu penso assim! Então definamos Márcia apenas como uma poetisa que exprime a perfeição na poesia que faz, nos sonetos que compõe e, invariavelmente, seguem as regras e a métrica apesar de burlá-las na mente com a viagem que proporciona a quem os lê. Márcia é só isso, a perfeição feito poesia. Que Deus a abençoe sempre assim. Porque só assim, desse jeito... Já nos basta!

Luiz Eduardo Caminha (Florianópolis, SC)


A Márcia tem o dom da construção dos sonetos: com toda a propriedade seus versos sobejam criatividade mesmo submetidos a regras previamente definidas. Essa a graça.
Abraços,

Pedro Du Bois (Itapema, SC)


Parabéns pela publicação de algumas preciosidades da Márcia. Em todas suas criações nivela a literatura "por cima", seja na forma, seja no conteúdo, sempre sensíveis esmerados. É, sem dúvida uma das melhores expressões da poesia contemporânea.
Forte abraço.

Caio Martins. (São Paulo, SP)


É um prazer encontrar quem faça do soneto a forma de expressão para a sua poesia. Apesar de todos os "movimentos" poéticos, alguns dos quais não deixam de ter o seu valor,o soneto resiste desde Petrarca, desafiando o poeta a seguir todas as suas regras que parecem feitas para limitar e desafiar a sua criação. Achei lindos os seus sonetos, e como também os faço, não com o brilho que os seus apresentam, envio-lhe um dos meus, para que você saiba que tem companhia...

Théo Drummond (Rio de Janeiro, RJ)


A primeira vez que li um soneto de Márcia, fiquei impressionado com a pureza e autenticidade do mesmo. Vieram outros. Belíssimos sonetos!
Beijos.

Jorge Sader Filho (Niterói, RJ)


A Márcia ao som do silêncio compõe uma carreira literária rara. Fazer poesia com beleza e simplicidade.

Mauro Lúcio de Paula (Belo Horizonte, MG)


Querida Márcia, sempre é um grande momento poder ver sua boa poesia sendo divulgada por grandes nomes de nossa Literatura. Eu rendo-me a sua pessoa, aos seus belíssimos Sonetos, desejando cada vez mais sucesso.

Efigenia Coutinho (Balneário Camboriú, SC)


Sob as normas técnicas que regem a construção dos sonetos, nada há a observar quanto à perfeição dos sonetos de Márcia Sanchez Luz, virtude essa que se torna ainda mais expressiva pelo sentimentalismo com que constrói os seus versos. São 10 belos sonetos, realmente! Como é bom ler poesia de quem entende do assunto. Meus efusivos parabéns a ela!

Humberto Rodrigues Neto (São Paulo, SP)

Um comentário:

  1. Obrigado pela lembrança, Màrcia.
    Mas a homenageada é você.

    Beijos
    Jorge

    ResponderExcluir